Sábado ou Domingo

Afinal, qual o dia em que devemos guardar, o dia de Deus, o sétimo dia o Sábado do Senhor, ou a tradição dos homens o Domingo, em homenagem a ressurreição de Jesus Cristo.

Vamos a luz da palavra de Deus:

1 - QUANTAS VEZES O NOME SÁBADO E DOMINGO SÃO CITADOS NA BÍBLIA

O SÁBADO: Antigo e Novo Testamento - 159 vezes na minha pesquisa

O DOMINGO: Antigo e Novo Testamento - Nenhuma vez


2 - MUITOS DIZEM: MAS O DOMINGO ESTÁ COMO O PRIMEIRO DIA NO NOVO TESTAMENTO

VAMOS FAZER UMA NOVA PESQUISA:

O SÁBADO: Novo Testamento - 63 vezes na minha pesquisa

O PRIMEIRO DIA: Novo Testamento - 11 vezes na minha pesquisa


Você vai me dizer: Viu, na bíblia existem 11 passagens que falam do domingo.

Respondo a você: Vamos ver nessas 11 passagens bíblicas se Deus ou Jesus autorizaram esta mudança de guarda.

1 - Mateus 26. 17
E, no primeiro dia da festa dos pães ázimos, chegaram os discípulos junto de Jesus, dizendo: Onde queres que façamos os preparativos para comeres a páscoa?

2 - Mateus 28. 1
E, no fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro.

3 - Marcos 14. 12
E, no primeiro dia dos pães ázimos, quando sacrificavam a páscoa, disseram-lhe os discípulos: Aonde queres que vamos fazer os preparativos para comer a páscoa?

4 - Marcos 16. 2
E, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro, de manhã cedo, ao nascer do sol.

5 - Marcos 16. 9
E Jesus, tendo ressuscitado na manhã do primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios.

6 - Lucas 24. 1
E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado, e algumas outras com elas.

7 - João 20. 1
E no primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu a pedra tirada do sepulcro.

8 - Atos 20. 7
E no primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles; e prolongou a prática até à meia-noite.

9 - Atos 20. 18
E, logo que chegaram junto dele, disse-lhes: Vós bem sabeis, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, como em todo esse tempo me portei no meio de vós.

10 - I Coríntios 16. 2
No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar.

11 - Filipenses 1. 5
Pela vossa cooperação no evangelho desde o primeiro dia até agora.


Acima estão as 11 passagens bíblicas que mencionam o primeiro dia da semana (ou domingo), e em nenhuma dessas passagens, consta que devemos mudar a guarda do Sábado para o Domingo.

Mas você me pergunta: Em Romanos 6. 4, Paulo nos diz que devemos viver em novidade de vida que é Cristo, então não precisamos guardar o Sábado, pode ser o Domingo.

Vamos ver esta passagem:

Romanos 6. 4
De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.

O texto acima mencionado, fala sobre o batismo, mas não ordena que devemos mudar a guarda do Sábado para o Domingo.

Batismo significa: Mergulhar (sepultar), o Batismo, é um simbolismo da morte e ressurreição de Cristo. Devemos ser mergulhados nas águas para sermos sepultados com Cristo, e quando emergimos, nascemos para uma nova vida em Cristo, ou novidade de vida como Paulo disse em Romanos 6. 4. Vou mais além: O batismo tem que ser por imersão (mergulhar), e não com gotas d'água na cabeça.

Veja algumas passagens bíblicas abaixo:

O batismo por imersão é encontrado nos exemplos bíblicos. Em Mateus 3. 16 diz-nos que Jesus "batizado, saiu logo da água", concluindo-se que ele tinha entrado na água. Em João 3. 23 nos diz que João batizou em Enom "porque havia ali muitas águas". Se ele estivesse apenas borrifando ou derramando para batizar, porque teria sido necessária muita água? Em Atos 8. 38-39, encontramos Filipe e o Eunuco entrando na água. Novamente, isto reforça o fato de que o batismo por imersão é exigido do cristão, senão, Felipe poderia ter usado a própria água que Eunuco estava levando para beber em sua viagem, para o batizar. Também, Paulo compara o batismo a um sepultamento Colossenses 2. 12, Romanos 6. 3-6. Não sepultamos um corpo jogando apenas uma pá de terra sobre ele nem tentaríamos sepultar o velho homem do pecado simplesmente com umas poucas gotas de água. A imersão está no plano de Deus para o batismo do cristão.

- UM LÍDER DE UMA CONGREGAÇÃO ME PERGUNTOU:
Os judeus reuniam-se todos os Sábados nas sinagogas segundo o seu costume, para ler as escrituras sagradas, e os discípulos de Jesus, aproveitavam essas reuniões para poder pregar a palavra de Jesus Cristo aos judeus. Os discípulos não guardavam o Sábado, somente compareciam nas sinagogas para poder pregar a palavra de Jesus aos judeus.

RESPONDI A ESSE LÍDER:
O que você me diz de Atos 16. 13, quando Paulo estava em Filipos, e num dia de Sábado retirou-se para fora da cidade e foi a beira de um rio fazer as suas orações conforme o seu costume. Ali não havia sinagogas e nem judeus, somente algumas mulheres. Com certeza, Paulo estava guardando o Sábado bíblico.

- RECEBI UM E-MAIL DE UM OUTRO LÍDER ME PERGUNTANDO:
A lei e os profetas perduraram até João Batista, depois veio a Graça, por isso não precisamos guardar a lei antiga, muito menos o Sábado. Veja (Mateus 11. 13 - Porque todos os profetas e a lei profetizaram até João). Está passagem encontra-se também em Lucas 16. 16.

RESPONDI A ESSE OUTRO LÍDER:
Se a lei perdurou até João, então me responda as passagens bíblicas abaixo:
1) Disse-lhes Jesus: É mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei (Lucas 16. 17).
2) Aqui está a perseverança dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e tem o testemunho de Jesus (Apocalipse 12. 17).
3) Se queres, porém, entrar na vida eterna, guarda os mandamentos de Deus (Mateus 19. 17).

Veja que interessante no último versículo acima (Mateus 19. 17). O próprio Mateus escreverá bem mais adiante que: Se você pretende entrar na vida eterna, você deverá guardar os mandamentos de Deus. Ai eu pergunto: Que mandamentos são esses? Te digo sem sombra de dúvidas: São os Dez Mandamentos de Êxodo 20.

Fiz mais algumas perguntas a esse líder:
1) Se a lei de Deus foi abolida até João Batista, então, podemos matar, roubar, falar mal de Deus, etc., sem que Ele nos condene? Fica difícil de acreditar nisso.
2) Suponhamos que Deus resolve-se abolir a sua Santa Lei; com certeza Ele não o faria através de um servo (João Batista), e sim através de Jesus. No entanto, Jesus veio, e não foi isso que aconteceu, a Lei de Deus continuou, e perdura até os dias de hoje como o próprio autor (Jesus) a testificou: É mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei (Lucas 16. 17).
3) Está última foi a mais interessante: Perguntei ao líder. Na sua congregação vocês profetizam pela vida de alguém? Ele me respondeu: Sim. Porém, você está querendo me pegar, dizendo que, se a lei e os profetas duraram até João, então porque nós profetizamos? Disse a ele que não, mas se a lei e os profetas acabaram até João, ele (líder da congregação) de forma alguma poderia estar profetizando. E para encerrar, mandei para ele a passagem que está em Atos 2 quando Pedro disse que nos últimos dias os vossos filhos e filhas profetizariam. Ora, este texto está bem adiante do texto de Mateus 11. 13. Então, não podemos dizer que a Santa Lei de Deus foi abolida.

O apóstolo Paulo em Romanos 7. 12 disse: E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom. Também em Romanos 3. 31, Paulo disse: Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei.

As boas novas vieram, não para abolir os escritos antigos, mas para suplementá-los, reforçá-los e confirmá-los, como o próprio Jesus disse: Não vim mudar a lei, e sim cumprir (Mateus 5. 17).

Cuidado com certas interpretações que vocês vêem por aí a respeito de Mateus 11. 13 (leiam mais a bíblia e busquem a Deus).

- RECEBI UM E-MAIL DE UM CRISTÃO ME PERGUNTANDO:
O que você me diz a respeito da primeira assembléia realizada em Jerusalém em Atos 15, onde vários líderes e representantes de congregações reunidos, estabeleceram uma doutrina uniforme para todas as igrejas.

RESPONDI O E-MAIL DESSE CRISTÃO:
Em Atos 15, Paulo e Barnabé estavam em Antioquia, e ali chegaram uns homens da Judéia pregando uma doutrina que havia sido extinta com a vinda de Jesus Cristo (A circuncisão: Que significa em cortar a ponta da carne do prepúcio. Esta ordenança, foi dada primeiramente a Abraão Gênesis 17. 23-27, e mais adiante, anotado no livro da lei de Moisés, e com a vinda de Cristo, foi abolida). Esses homens da Judéia pregavam aos gentios (pessoas que não eram de origem judia), que eles tinham que seguir os costumes judaicos da cerimônia da circuncisão segundo a lei de Moisés, senão eles não poderiam ser salvos. Tal procedimento causou uma discussão entre Paulo e Barnabé com aqueles homens da Judéia, porque a circuncisão havia sido extinta com a vinda de Jesus Gálatas 5. 6, Filipenses 3. 3, Tito 1. 10-11 Após discutirem por um longo período, resolveram levar esta questão aos apóstolos e líderes de igrejas em Jerusalém, para ser esclarecido através de um concílio, a respeito da circuncisão. Depois de várias horas de debates entre fariseus recém convertidos, os apóstolos e líderes de igrejas, chegaram a uma definição, de que os gentios convertidos ao cristianismo, não precisariam obedecer esta lei judaica, por ter sido abolida com a vinda de Jesus. Mas pediram aos gentios, que evitassem as carnes sacrificadas aos ídolos e também de não comer carne de animais estrangulados sem sangrar, e os demais ensinamentos, ele haveriam de aprender gradativamente todos os Sábados nas sinagogas pelos pregadores até chegarem ao pleno conhecimento da palavra de Deus, como o próprio apóstolo Paulo disse em I Coríntios 3. 2: Devemos dar leite ao recém nascido e não carne, até que ele cresça e aprenda a comer sozinho.

Veja um fato interessante nesta passagem de Atos 15: Os Apóstolos de Jesus, os fariseus recém convertidos ao cristianismo e líderes de congregações, recomendando aos gentios, que evitassem as carnes sacrificadas aos ídolos e também de não comer carne de animais estrangulados sem sangrar, e os demais ensinamentos, ele haveriam de aprender gradativamente todos os Sábados nas sinagogas pelos pregadores, e não aos Domingos. Ora, este texto é no Novo Testamento, e Jesus havia ressuscitado e partido para o céu, e seus discípulos estavam recomendando aos gentios que eles haveriam de aprender todos os Sábados nas sinagogas pelos pregadores e não aos Domingos. Então essa idéia de dia do Senhor ser no Domingo, ou guardar o domingo por causa da ressurreição de Cristo é falsa. Pois os próprios discípulos de Jesus indicaram o Sábado aos gentios, e não o Domingo.

Muitos líderes de congregações, tentando defender a sua doutrina contorcida pelo erro, usam Atos 15 como um apoio nas escrituras, dizendo que acharam uma referência bíblica em que os cristãos e líderes de igrejas reuniram-se para definir regras segundo o que a maioria concordasse. Tal interpretação foge do contexto do problema em Atos 15. O tema era a circuncisão, e muitos dos fariseus recém convertidos ao cristianismo, ainda não tinham o pleno conhecimento da palavra de Jesus, e estavam doutrinando aos gentios a praticarem a circuncisão, segundo a lei de Moisés, só que, esta lei havia sido extinta com a vinda de Jesus e foram exortados por Paulo e Barnabé a respeito dela, chegando ao ponto de se reunirem com líderes de igrejas e os apóstolos, para poder esclarecer a esses homens e a outros de que não precisariam pregar aos gentios uma ordenança que havia sido abolida com a vinda de Jesus.

A doutrina da circuncisão foi criada por Deus, e extinta com a vinda de Jesus, os homens simplesmente discutiram e estudaram para chegar a verdade já revelada. O mais interessante é que: Terminado o concílio, enviaram cartas as igrejas, corrigindo tal erro, que aqueles homens da Judéia haviam pregado aos gentios.

Resumindo: Não vi neste capítulo de Atos 15, nenhuma referência a respeito da mudança de guarda do Sábado para o Domingo, apenas um debate sobre a circuncisão, e digo, cuidado com certas reuniões na sua congregação, principalmente aquelas que o líder é um amigo do padre ou pastor, e que está ali ocupando um cargo de liderança por causa da amizade, e que não tem nenhum conhecimento da palavra de Deus. Abra o olho, para não deixar ser levado por falsas doutrinas.

Bom: Não existe nenhuma passagem bíblica em que Deus ou Jesus nos ordena a mudança de guarda do Sábado para o Domingo, ou o primeiro dia da semana.

ENTÃO COMO OCORREU ESSA MUDANÇA?

Primeiro, devemos entender que todos os dias da semana foram criados por Deus. Mas o sétimo dia, o Sábado, Deus descansou, separou, abençoou e o santificou, conforme Gênesis 2. 1 a 3, esta é a verdade de Deus bíblica. Devemos entender também que o primeiro dia da semana, o Domingo, é um dia comum como outro qualquer. O problema é que criaram em cima desse dia, um sistema de adoração que não esta em conformidade com a verdadeira palavra de Deus.

O princípio desse sistema de adoração criado no primeiro dia da semana (o domingo), começou com um conflito entre duas forças poderosas e opostas.

Na bíblia existe um anjo caído de nome Lúcifer que significa brilhante ou estrela da manhã, também chamado de satanás, que significa o adversário de Deus.

Lúcifer (satanás) sempre quis imitar a Deus em quase tudo, criando para si mesmo sistemas de adoração parecidos com os de Deus, tentando ser semelhante a Deus, e por isso, foi lançado nas trevas como esta escrito em Isaías 14. 12 a 15: "Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que prostravas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. Disse Deus: E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo".

Não posso afirmar, mas muitos dizem que o culto ao deus sol, que existe desde a antiguidade até os dias de hoje, poderia ser o próprio Lúcifer (satanás) instigando as nações a adorá-lo através do sol. Ezequiel 6. 4, II Crônicas 34. 7, Deuteronômio 17. 3.

E por incrível que pareça, a maioria dos povos, adoravam o dia do deus sol no primeiro dia da semana (o domingo).

Agora veja o paralelo entre Deus e satanás: O Sábado de Deus, é no sétimo dia, o último dia da semana, e o dia de adoração ao deus sol, é no primeiro dia (o domingo), e Lúcifer era chamado de estrela da manhã "sol da manhã", e sempre quis ser um deus, como ele mesmo disse na passagem bíblica acima mencionada.

VEJAMOS AGORA O INÍCIO DESSE SISTEMA DE ADORAÇÃO:

Lúcifer sol da manhã ou brilhante + Lúcifer querendo ser um deus = deus sol.

Agora ele havia criado a sua marca "deus sol", o próximo passo era associar esta marca em algum objeto visível para servir de mediador do seu sistema de adoração, para que as nações pudessem ver, crer e adorar. O sol que fora criado por Deus, era o objeto ideal para essa finalidade, porque além da luz emitida por ele, também era um gerador de várias fontes de riquezas sobre a face da terra.

Veja um exemplo típico dessa farsa de satanás - Gênesis capítulo 3: Lembra da passagem bíblica em que Eva foi enganada pela serpente? Satanás queria induzir a mulher a comer do fruto da árvore proibida sabendo que ela iria pecar contra Deus. O problema não estava na árvore e sim no comer ou não comer o fruto dela. O que ele fez: Usou um dos animais mais astutos da criação de Deus, a cobra, para intermediar a conversa e induzir a mulher a comer o fruto, fazendo assim a vontade dele (Lúcifer) e não a de Deus.

E não é de admirar que ele usou o sol para servir de mediador do seu sistema de adoração. Agora só faltava o dia para adicionar esse sistema. Lúcifer sabia que Deus havia separado o sétimo dia (o Sábado) para que o homem o adorasse, implantou então o seu sistema de adoração no primeiro dia da semana o Domingo, que esta ao lado do Sábado do Senhor.

Sabemos que o interesse de Lúcifer, é desviar a atenção dos homens para um outro dia de adoração que não seja o de Deus, induzindo-o ao erro, porque ele sabe que o Sábado é tido como um memorial de toda a criação de Deus, e se descansarmos neste dia (o Sábado), estaremos fazendo a vontade de Deus e não a dele.

VEJAMOS AGORA COMO FICOU O SEU SISTEMA DE ADORAÇÃO:

LÚCIFER - DEUS SOL
OBJETO MEDIADOR - SOL
DIA USADO PARA A ADORAÇÃO - DOMINGO "QUE FICA AO LADO DO SÁBADO DO SENHOR"

Agora só faltava a divulgação desse seu sistema de adoração, mas isso vou deixar para o próprio Jesus Cristo responder. Veja a passagem bíblica abaixo.

JESUS CRISTO NOS DISSE QUE SATANÁS É O PAI DA MENTIRA O ENGANADOR João 8. 44, Vós tendes por pai ao diabo (satanás), e quereis satisfazer os desejos dele. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.

NÃO PRECISA DIZER MAIS NADA.

VEJA MAIS ALGUNS DOS SEUS ATRIBUTOS.

O APÓSTOLO PAULO NOS ALERTOU DO PERIGO QUE É SATANÁS EM II Coríntios 11. 14-15, E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz e engana a muitos. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras.

JUDAS UM DOS APÓSTOLOS, FOI USADO POR SATANÁS PARA TRAIR JESUS Lucas 22. 3-4, Entrou, porém, Satanás em Judas, que tinha por sobrenome iscariotes, o qual era um dos doze apóstolos. E foi, e falou com os principais dos sacerdotes, e com os capitães, de como entregaria Jesus.

O APÓSTOLO PEDRO, ACHANDO QUE ESTAVA AJUDANDO À JESUS, ACABOU SENDO USADO POR SATANÁS PARA TENTAR IMPEDIR QUE JESUS ENTRASSE EM JERUSALÉM Mateus 16. 21-23, Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia. E Pedro, tomando-o de parte, começou a repreendê-lo, dizendo: Senhor, tem compaixão de ti; de modo nenhum te acontecerá isso. Ele, porém, voltando-se, disse a Pedro: Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens.

Nessa passagem, podemos ver claramente um paralelo entre Deus e satanás. Jesus tinha que entrar em Jerusalém para fazer cumprir as escrituras e satanás queria impedi-lo, e acabou usando um dos apóstolos de Jesus para intermediar a conversa, Pedro, mas Jesus logo o repreendeu.

A verdade é que, este conflito entre Deus e satanás, vem desde a criação do mundo e se arrasta até os dias de hoje. Deus cria uma regra, satanás vai e cria algo parecido para tentar destruir o que Deus criou, e muitos caem na sua armadilha. Uma dessas armadilhas é a mudança da guarda do Sábado para o Domingo.

Mas você vai me dizer: Nós guardamos o Domingo em homenagem a ressurreição de Jesus Cristo e não como um dia de adoração ao deus sol.

Respondo a você: Temos que fazer a vontade de Deus, e não a vontade dos homens, mesmo Jesus ressuscitando no Domingo, não temos nenhuma autoridade em alterar a lei de Deus, para homenagear a Cristo, sendo que Ele mesmo guardava o Sábado Lucas 4. 16. Disse também que veio fazer cumprir a lei e não mudar Mateus 5. 17.

Veja o que aconteceu em Gênesis 4, quando Deus ordenou a Abel e Caim, que fizesse um sacrifício de um cordeiro em sua oferta (sacrificando o cordeiro, tipificava a morte de Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo João 1. 29). Abel o fez como Deus havia pedido, mas Caim, resolveu satisfazer a sua própria vontade, homenageando a Deus com o fruto da terra, colheu o que havia de melhor, preparou um banquete para Deus, não sacrificando assim o cordeiro como Deus havia pedido. Resultado, Deus não agradou-se da oferta de Caim, porque ele havia desobedecido a sua vontade, e também, contrariava o plano da Salvação que Deus havia preparado para a redenção dos homens. Mesmo Caim tendo boas intenções em homenagear a Deus, sua oferta foi rejeitada. A bíblia relata que Caim encheu-se de ira contra seu irmão Abel, que havia feito o que Deus ordenara, e o matou.

Pergunto: Se o próprio Jesus com toda a autoridade e poder sobre o céus e a terra disse: É mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei (Lucas 16. 17), então com que autoridade o homem fez esta mudança na lei de Deus?

Muitos dos povos da antiguidade adoravam o deus sol no primeiro dia da semana, o Domingo. Mas havia um povo que guardava os mandamentos de Deus, os Judeus. Satanás sabia que este povo não seguiria o seu sistema de adoração, então instigou o homem a criar uma lei para obrigar a todos a adorarem o dia do deus sol no Domingo, desviando assim a atenção dos homens do verdadeiro dia de guarda, criado, abençoado e santificado por Deus, o sétimo dia da semana, o Sábado do Senhor (Êxodo 20. 8 a 11).

VEREMOS AGORA, A LUZ DA PALAVRA DE DEUS O PRINCÍPIO DESSA LEI CRIADA PELO HOMEM

Por volta do ano 605 a.c, havia um homem de Deus chamado Daniel. Seus escritos são chamados por muitos de apocalípticos. Na bíblia Católica contém 14 capítulos dos seus escritos, e na bíblia Protestante 12 capítulos. No capítulo 7 de Daniel, existe uma passagem bíblica em que Deus alerta Daniel sobre o que aconteceria no final dos tempos. Deus revelou a Daniel que chegaria um tempo que apareceria um poder político e religioso que cuidaria em mudar os tempos e a sua lei, além de proferir palavras contra o Altíssimo (Deus).

Em Daniel 7. 25 encontramos está passagem: "E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei." Podemos ver nesta passagem bíblica, Deus mostrando a Daniel que a sua lei, os Dez Mandamentos seriam mudados por esse poder político e religioso. O versículo acima não menciona "poder político e religioso", mas se você estudar todos os capítulos 6, 7, 8 de Daniel, você verá que este poder político e religioso existiu, na figura de Roma pagã misturada com a igreja cristã corrompida pela tradição.

A história nos conta, que no dia 7 de março do ano 321 d.c, um imperador romano pagão chamado Constantino uniu-se à igreja cristã corrompida pelas tradições dos homens, e juntos criaram através de uma lei, que todos deveriam descansar no venerável dia do sol, o domingo.

Veja a lei: "Que todos os juízes, e todos os habitantes da cidade, e todos os mercadores e artífices descansem no venerável dia do Sol. Não obstante, atendem os lavradores com plena liberdade ao cultivo dos campos; visto acontecer a miúdo que nenhum outro dia é tão adequado a semeadura do grão ou ao plantio da vinha; daí o não se deve deixar passar o tempo favorável concedido pelo céu".

Está lei causou um grande conflito entre Judeus e cristãos verdadeiros contra o clero.

No ano 364 d.c, realizou-se o concílio de Laodicéia. Essa assembléia eclesiástica motivada em parte pela vigência do edito Constantino, estabeleceu no cânon 29, a proibição dos cristãos de guardarem o Sábado bíblico, sob pena de serem excomungados. Mais uma vez a igreja com sua autoridade própria, alterou a lei de Deus.

Veja o Cânon 29: "Os cristãos não devem judaizar e descansar no sábado, mas sim trabalhar neste dia; devem honrar o dia do Senhor e descansar, se for possível, como cristãos. Se, entretanto, forem encontrados judaizando, sejam excomungados por Cristo". Hefele, History of the Councils of the Church, vol. II, livro 6, sec. 93, pág. 318.

Lembre-se do poder político e religioso de Daniel 7. 25 "e cuidará em mudar os tempos e a lei"

O Imperador Constantino, no ano 321, foi o primeiro a ordenar a rigorosa observância do domingo, proibindo toda classe de negócios jurídicos, ocupações e trabalhos; unicamente se permitia ao lavradores que trabalhassem aos domingos nas fainas agrícolas, se o tempo fosse favorável. A própria igreja no concílio de Laodicéia em 364 d.c, instigou os cristãos, a não observarem o Sábado bíblico, sob pena de serem excomungados. Uma lei posterior, do ano 425, proibiu a celebração de toda classe de representações teatrais. E, afinal, no século VII aplicaram-se com todo o rigor, a lei de adoração ao domingo o dia do Deus sol. (em inglês Sunday em Alemão Sonntag = dia do sol).

Desta data em diante, começara novamente a perseguição aos verdadeiros cristãos e Judeus que guardavam a verdadeira lei de Deus, como Daniel havia previsto no capítulo 7. 25 a 605 anos antes de cristo.

Muitos dos Judeus da seita dos fariseus instigados por satanás, perderam a salvação por terem criado varias tradições de homens em cima da lei de Deus, principalmente na questão do Sábado. Com o surgimento do cristianismo, muitos Judeus fiéis aos mandamentos de Deus se converteram a Cristo, e satanás sabia que eles iriam continuar seguindo a verdadeira lei de Deus, porque Cristo disse que não veio mudar a lei e sim fazer cumpri-la. Satanás tinha que atingir a essas pessoas para obter o sucesso do seu sistema de adoração. Infiltrou-se então na própria igreja já corrompida pela tradição, e junto com Roma pagã, instigou o homem a criar uma lei ordenando a todos que adorassem o deus sol no Domingo, forçando assim os cristãos a desviarem a atenção do verdadeiro dia de guarda criado por Deus, o Sábado. Constantino e os Bispos de Roma, corrompidos pelo poder e a tradição, tiveram problemas com muitos cristãos verdadeiros e Judeus que não aceitaram esta lei pagã. Mas com o passar do tempo, foram infiltrando através da força e da mentira, fazendo com que a maioria dos cristãos acreditassem que esta lei era em homenagem a ressurreição de Cristo, mas na realidade estavam fazendo a vontade de Constantino, adorando o deus sol "Sol Invictus" (Lúcifer).

Para a igreja esta mudança ficou marcada até os dias de hoje, como uma homenagem a ressurreição de Cristo, ou o dia do Senhor, mas para Deus um afronto a sua lei.

Muitas ordenanças foram dadas a Moisés, e ele escrevia num livro e colocava este livro ao lado da arca da aliança. Mas os Dez Mandamentos, o próprio Deus desceu dos céus e com o seu dedo cortou a rocha e fez duas tábuas de pedra e nelas escreveu a sua lei, e ordenou a Moisés que fizesse uma arca e colocasse as tábuas da lei dentro dela.

Pergunto: Se esta lei não fosse tão importante, Deus não precisaria descer do céu para escrevê-la, ele pediria a Moisés para fazer isso.

Agora veja o que Deus fez para anunciar a sua lei: A bíblia relata em Êxodo 20, que quando Deus veio até Moisés para escrever com o seu dedo a sua lei, houve grandes trovões e raios, o monte Horebe fumegava, os anjos subiam e desciam do céu, grandes sonidos de trombetas eram ouvidos a distancia, e o povo afastou-se do monte com medo de morrer, somente Moisés permaneceu nele, até que fosse entregue as tábuas da lei. Se naquele dia em Êxodo 20, Deus fez tremer a terra para anunciar a sua lei, depois mandou construir uma arca para colocá-la, mas adiante selou a sua lei nos corações dos homens Isaías 8. 16, e no novo testamento em Apocalipse 12. 17, o próprio Jesus anunciou a João a verdadeira igreja dos últimos dias, aquela que guardava os mandamentos de Deus e tinha o testemunho de Cristo, com certeza Deus não iria mudar a sua lei nem mesmo para homenagear a seu filho Jesus, sendo que o próprio Jesus disse: Seja feita a tua vontade assim na terra como no céu Mateus 6. 10.

Lembre-se que Caim perdeu a salvação por querer homenagear a Deus da sua maneira e não a de Deus.

Disse-lhes Jesus: Não vim mudar a lei, e sim cumprir - Mateus 5. 17
Disse também: É mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei - Lucas 16. 17  

Faça um breve estudo sobre a inquisição e você verá que muitos dos Judeus e cristãos verdadeiros morreram por terem guardado a verdadeira palavra de Deus, e não os dogmas da igreja corrompida pela tradição. Verá também que muitos morreram por guardarem o Sábado. Hora, se Jesus pregou o amor e não a violência, porque então a própria igreja assassinou esses cristãos que procuravam seguir a verdadeira palavra de Deus?

Respondo a você: Satanás não conseguiu enganá-los, então resolveu matá-los para que a doutrina pura de Deus não se espalhasse. Mas Deus na sua infinita sabedoria, começou a levantar homens verdadeiros para resgatar a sua verdade corrompida pela tradição dos homens.

PASSAGENS BÍBLICAS SOBRE A OBEDIÊNCIA A DEUS

1) Pedro e os outros apóstolos foram levados perante ao sinédrio, por pregarem a verdadeira palavra de Deus. Vejam o que eles disseram aos fariseus: Importa servir a Deus do que aos homens (Atos 5. 29).

2) O profeta Jeremias disse: Maldito é o homem que confia no homem. E bendito é o homem que confia no Senhor (Jeremias 17. 5-7).

3) O profeta Isaías alertou sobre a lei de Deus: Guarda o testemunho, sela a lei nos corações dos meus discípulos (Isaías 8. 16).

4) O profeta Ezequiel alertou sobre a obediência ao Sábado de Deus: E santificai os meus Sábados, e servirão de sinal entre mim e vós, para que saibais que eu sou o Senhor vosso Deus (Ezequiel 20. 20).

5) O apóstolo Tiago disse: Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu pois não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei de Deus (Tiago 2. 10-11).

6) João apóstolo de Jesus e escritor do livro do apocalipse disse: Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade. Mas qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado; nisto conhecemos que estamos nele.... Irmãos, não vos escrevo mandamento novo, mas o mandamento antigo, que desde os primórdios tivestes. Este mandamento antigo é a palavra de Deus que desde o princípio ouvistes (I João 2. 4-7).

7) O próprio Jesus anunciou a João a respeito dos mandamentos de Deus: Aqui está a perseverança dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e tem o testemunho de Jesus (Apocalipse 14. 12).

8) Veja o que o próprio Deus alertou: Eis que hoje eu ponho diante de vós a bênção e a maldição; a bênção, quando cumprirdes os mandamentos do Senhor vosso Deus, que hoje vos mando; porém a maldição, se não cumprirdes os mandamentos do Senhor vosso Deus, e vos desviardes do caminho que hoje vos ordeno, para seguirdes outros deuses que não conhecestes (Deuteronômio 11. 26-28).

9) Depois do juízo final, Deus recriara novos céus e nova terra, e veja o que acontecerá com aqueles que obedecem a Deus: Porque, como os novos céus, e a nova terra, que hei de fazer, estarão diante da minha face, diz o Senhor, assim também há de estar todos os salvos, com o seu novo nome. E será que desde uma lua nova até à outra, e desde um sábado até ao outro, virá toda a carne a adorar perante mim, diz o Senhor (Isaías 66. 22-23).

10) Abominação da oração: O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei do Senhor, até a sua oração será abominável (Provérbios 28. 9).

11) Jesus e os Mandamentos de Deus: Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor (João 15. 10).

12) Jesus guardava o Sábado da lei de Deus: E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler (Lucas 4. 16).

PALAVRAS DE JESUS

Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas ovelhas sou conhecido. Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai, e dou a minha vida pelas ovelhas (João 10. 14-15).

Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele (João 14. 21).

Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não passaram (Marcos 13. 31).

Lembra-te do dia do Sábado, para o santificar (Êxodo 20. 8).